Logo

MANUAL DO GERBIL
American Gerbil Society

Tradução: Luciana Grings
 
Índice

1. Introdução
    1.1   O que é um gerbil?
    1.2   Pense nisto primeiro
    1.3   Responsabilidades

2. Adotando um gerbil
    2.1   Escolhendo um gerbil
    2.2   O local para apresentação
    2.3   2.3

3. Cuidados com o gerbil
    3.1   Casinhas
    3.2   Forração
    3.3   Material para o ninho
    3.4   Bebedouro
    3.5   Comida
    3.6   Prato de comida
    3.7   Brinquedos e exercício

4. Domesticando

5. Tópicos de saúde
    5.1   Problemas respiratórios
    5.2   Tumores na glândula odorífera
    5.3   Rabos quebrados
    5.4   Ataques do coração
    5.5   Paralisia ou espasmos
    5.6   Nariz vermelho
    5.7   Sarna
    5.8   Diarréia
    5.9   Dentes muito grandes

6. Comportamento
    6.1   Sapatear
    6.2   Pentear-se
    6.3   Brigar
    6.4   Marcar território
    6.5   Cavar incessantemente os cantos
    6.6   Fugir

7. Reproduzindo
    7.1   Decidindo pela reprodução / criação
    7.2   Selecionando o casal reprodutor
    7.3   Ambiente de acasalamento
    7.4   Cuidados especiais
    7.5   Acasalamento e nascimento
    7.6   Os primeiros dias
    7.7   As primeiras semanas
    7.8   Desmame e infecção respiratória
    7.9   Kit de primeiros socorros
    7.10 Separando e organizando os filhotes
    7.11 As regras de ouro da reprodução
    7.12 Mantendo registros


1. Introdução

1.1 O que é um gerbil?

What is a gerbil?Um gerbil é um roedor de tamanho médio entre um camundongo e um rato. Normalmente pesa entre 50 e 100 gramas, e sua face é sutilmente diferente da de um rato ou camundongo. Seu longo rabo é cobertos de pêlos, com um tufo na ponta. Seus olhos são pretos ou vermelhos, e apresentam uma gama variada de cores, do Agouti (marrom com a barriga branca) ao preto, passando por tons de laranja, dourado, creme, aos Siameses e Burmeses! Gerbils são engraçados e dão ótimos animais de estimação, interessantes de observar. Suas travessuras e a convivência familiar podem entretê-lo durante horas. São também incrivelmente amigáveis. Eles podem ser ensinados a subir no seu ombro e sentar-se nele, ou mesmo na sua cabeça!

Gerbils necessitam um mínimo de cuidados. Suas casas ocupam pouco espaço, não necessitam grandes manutenções, não possuem cheiros fortes, e não precisam de acompanhamento veterinário constante. São muito amigáveis, sociais, e raramente mordem.

1.2 Pense nisto primeiro

Antes de comprar um gerbil, você tem que pensar no que exatamente está querendo. Quantos animais você quer? Que cores prefere? Você prefere um gênero determinado? Você quer reproduzi-los?

Gerbils são altamente sociáveis e não gostam de ficar sozinhos, ao contrário de outro roedor, o solitário hamster sírio. Se você for comprar gerbils, compre pelo menos dois. Gerbils solitários vivem comprovadamente menos, são menos saudáveis, ficam freqüentemente acima do peso e não são felizes. Também tendem a ser mais difíceis de domesticar e menos dóceis. Mesmo que você esteja em casa o dia todo, e brincando com ele constantemente, isto não compensa o fato de que ele terá de dormir sozinho, comer sozinho, e se pentear sozinho. Uma companhia é, então, essencial. Tanto machos quanto fêmeas vivem bem com uma companhia do mesmo sexo, especialmente se eles são parentes ou foram apresentados entre seis e oito semanas de vida. As fêmeas tendem a ser menos tranqüilas em grupos maiores do que dois gerbils, enquanto os machos são mais tolerantes aos outros em grupos de três ou mais. A média recomendada para grupos de gerbils são dois, pois a chance de ocorrerem brigas aumenta nos grupos maiores. Nunca junte gerbils de dois grupos diferentes!

1.3 Responsabilidade

Aqui estão algumas idéias sobre ter responsabilidades com os seus gerbils:

  1. Lembre-se que, como com qualquer bicho de estimação, comprá-lo é como um contrato de longo prazo. Com os gerbils, este contrato pode durar entre quatro e cinco anos. Se você está comprando gerbils para uma criança ela tem de entender a responsabilidade que está ganhando. Você, como adulto, tem a obrigação de monitorá-la e ajudá-la para garantir que o gerbil estará bem cuidado.

  2. Se você decidiu reproduzir gerbils precisa de um espaço adequado para o casal e seus filhotes. A partir do momento em que os filhotes são desmamados eles devem ser separados em dois terrários, machos e fêmeas. Cada nova ninhada precisará de atenção redobrada, até que esteja pronta para o contato humano. Um par de gerbils pode ter uma ninhada a cada trinta e cinco ou quarenta e cinco dias, ou dez ninhadas por ano (ou mais). Uma ninhada pode ter de um a oito filhotes, se cada ninhada tiver quatro bebês serão quarenta filhotes por ano. Dois pares de gerbils podem produzir oitenta filhotes... você tem onde distribuir tantos bichinhos?

  3. Um produtor bem-intencionado vivendo na zona rural do estado do Maine subestimou enormemente as demandas e possibilidades dos gerbils. Ele iniciou a criação com dez pares reprodutores. A pequena demanda pelos filhotes e uma administração mal planejada o sobrecarregaram e tornaram-no incapaz de cuidar dos trezentos animais que tinha por fim. Sua irresponsabilidade o tornou negligente.

  4. Você não vai ficar rico criando gerbils! Gerbils são normalmente a ninhada de prejuízo nas pet shops que lucram em suprimentos e acessórios. Filhotes de gerbil precisam ser manipulados todos os dias e você precisa medicá-los e tratá-los, o que custa tempo e dinheiro. Reproduzir gerbils é um trabalho oneroso.

2. Adotando um gerbil

É bom preparar-se bastante antes de receber os gerbils em casa, ou mesmo já trazê-los no ambiente que você preparar para eles ficarem. A decisão mais crítica na hora de comprar um gerbil é escolher um par que seja amigável, dócil, curioso e saudável.

2.1 Escolhendo um gerbil

Their all so cute!Você deve pensar muito antes de comprar seus gerbils. A loja mais próxima pode parecer mais conveniente, mas nem sempre é a melhor escolha. Nas lojas os gerbils pode estar doentes, desacostumados com a manipulação, e as fêmeas podem estar grávidas. O atendente facilmente se enganará com o sexo do gerbil se ele tiver entre 5 e 8 semanas. Muitos criadores de primeira viagem se tornaram reprodutores relutantes, quando um dos seus “machos” teve filhotes.

Se possível, encontre um criador mais ou menos perto de você, mesmo que isso signifique uma viagem um pouco longa. Visitando um criador respeitável você poderá ver os filhotes, seus pais, e talvez até seus avós. Isto trará muitos benefícios a longo prazo e será um trabalho de campo informativo e divertido. Se você comprar seus gerbils de um associado da AGS, receberá um certificado, e um número de registro da ninhada.

Se você não puder encontrar um bom criador, então terá que achar uma pet shop respeitável. Sempre se certifique que os olhos do gerbil são brilhantes, o rabo está totalmente coberto, o pêlo é macio e não amarrotado, e nenhum animal na gaiola parece doente (isto vale para a compra de um criador também). Os gerbils não devem ter medo de ser pegos nem demonstrar resistência à manipulação pelo atendente ou por você. E eles definitivamente não devem morder! No máximo, um filhote poderá usar sua boca para “testá-lo” (isso faz cócegas, não machuca).

Escolha dois gerbils jovens do mesmo sexo que tenham entre seis e oito semanas. Isto ajudará a garantir que eles se dêem bem juntos. Se, por alguma razão, você não puder comprá-los juntos, antes que os filhotes atinjam as seis ou oito semanas devem ficar juntos sem muitos problemas. Se, por outro lado, seus gerbils vierem de lugares diferentes e um deles ou os dois já forem adultos, você terá de usar o aquário de separação para apresentá-los.

2.2 O local para apresentação

Split tank; Tzeitel and MottleGerbils são animais extremamente territoriais, e serão agressivos se postos com outros gerbils desconhecidos. O ideal é que você pegue dois gerbils que já vivam juntos, ou que tenham entre seis e oito semanas de idade. Desse modo, você não terá problemas na apresentação deles. Se um deles, ou os dois, tiverem mais do que oito semanas, é recomendável usar um aquário de separação.

Você precisará de um aquário ou gaiola que possa ser dividido ao meio. Há algumas caixas que podem ser compradas já com divisórias, mas são difíceis de encontrar. Para fazer o aquário, simplesmente use um de seus terrários e um tecido bem grosso ou tela firme como separador. O método mais seguro é dividir a gaiola de canto a canto. Esteja certo de que o separador esteja bem preso! Os gerbils tentarão se arrastar por baixo do separador, pular, ou contornar o separador para pegar o gerbil estranho do outro lado. Observe os gerbils o máximo de tempo que for possível, até que você esteja certo que o aquário é seguro.

10 gallon split tankPonha um gerbil de cada lado do separador. O conceito do aquário de separação é dar aos gerbils tempo para se acostumar com o cheiro um do outro, prevenindo brigas. Troque os gerbils de lado no aquário de quatro a cinco vezes ao dia, durante uma semana. Após esse prazo, tire o separador. Use luvas de proteção (p. ex., luvas de couro grosso) para o caso de ocorrer uma briga. Planeje que esse contato seja feito quando você puder observá-los cuidadosamente durante cinco ou seis horas – ou seja, o melhor a fazer é remover o separador quando você estiver o dia todo em casa. Não os deixe sozinhos sem observação até que durmam juntos no mesmo ninho. Se você tiver que sair, recoloque o separador.

Se o processo de apresentação for bem sucedido, eles estarão acostumados com os cheiros um do outro e não brigarão. Ocorrendo uma briga, separe-os imediatamente e comece tudo de novo, com o separador. Não há problemas em trocarem tapas aparentes, mas se eles se enroscarem, virando uma bola, ou se um começar a pular enquanto o outro foge, estes são sinais de brigas sérias.

Eles terão aceito bem um ao outro quando estiverem se penteando e dormindo juntos.

CUIDADO! Em nenhuma hipótese tente apresentar um gerbil a um grupo já estabelecido. O aquário de separação funciona somente para dois gerbils. Gerbils que forem separados por mais de um dia também precisarão ser reapresentados com o aquário.
 
2.3 Manipulando o gerbil

Se você comprou o gerbil de um bom criador, o trabalho de domesticação estará pronto, ou pelo menos bem encaminhado. Lembre-se de esperar que o filhote complete seis semanas para tirá-lo dos pais. Este tempo é necessário para que aprendam com seus pais e parentes sobre a vida em sociedade, e a não temer o contato humano.

Primeiro, você deve dá-lo tempo para se acostumar com a nova casa. Então, coloque sua mão no viveiro e deixe-a cheirá-la. É possível que um filhote jovem tente “prová-lo”, mordiscando-o para descobrir se você é saboroso. Isto não machuca; apenas retire a mão devagar. Gerbils jovens são especialmente propensos a fazer isso nesta fase de “ponha tudo na boca”. Com o tempo, este comportamento desaparecerá.

Deixe sua mão no fundo do terrário. Os gerbils virão explorar sua mão cuidadosamente. Se eles parecerem assustados e fugirem, não insista. Apenas deixe sua mão na caixa por alguns minutos algumas vezes ao dia. Ofereça a eles sementes de girassol separadas da ração. Esta é uma boa maneira de ensiná-los que você os trata bem. Ponha sementes de girassol ou amendoins na palma da mão e eles rapidamente associarão suas mãos a coisas gostosas.

Se você quiser pegar seus gerbils, tente levá-los a um canto da gaiola e levante-os devagar, usando as duas mãos. Nunca pegue um gerbil pela cauda, nem mesmo pela base dela. O rabo do gerbil tem ossos e pode quebrar-se. Não os persiga pela gaiola, nem os deixe cair. Se você não conseguir fazê-los subir na sua mão, pode usar um copo ou xícara para atraí-los. Eles normalmente tentam entrar nos recipientes e você poderá então pegá-los com facilidade. Pegue-os e coloque-os no seu braço, ou no seu ombro, e deixe-os explorar. Gerbils adoram um bom ombro. Eles correm de um ombro a outro, descem pelo braço, e param nos cotovelos para dar uma olhada em volta. Tenha cuidado se eles quiserem pular. É recomendável que você faça isso sentado em uma cadeira ou numa cama para que eles não se machuquem se caírem.
Depois de uma semana ou duas fazendo esses exercícios, os gerbils ficarão felizes quando você os pegar. Você pode ensiná-los a ficar sentados no seu ombro ou cotovelo enquanto caminha. Logo eles começarão a “avisar” quando estiverem cansados e querendo voltar para a casa. Normalmente eles sinalizam sentando nas patas traseiras e pondo as dianteiras contra o vidro do aquário, saltando. Alguns aprendem a pular quando o vêem, se aprenderem que isto resultará num passeio fora da gaiola.


3 Cuidados com o gerbil

3.1 Casinhas

Há um bom número de opções de casas para seus novos gerbils. A mais popular, para um par de gerbils, é um aquário de cinqüenta litros, por uma série de razões. É barato, fácil de limpar, espaçoso, e permite criatividade na hora de criar o ambiente. É necessário que o aquário tenha uma tampa, para impedir que os gerbils escapem e para sua própria segurança.

Em linhas gerais, dois gerbils cabem num aquário de 50 litros, 3 gerbils num aquário de 100 litros, 4 gerbils num de 150 litros e assim por diante.

Há dois tipos de tampas fáceis de encontrar nas lojas. Ambas são baratas e seguras. O primeiro é uma cobertura simples de arame. O segundo tem encaixes para tubos plásticos. Se você não pode ir a uma loja grande comprar uma tampa, simplesmente confeccione sua própria cobertura usando um tecido grosso. Esteja certo de que a cobertura está firmemente presa, principalmente se você tiver gatos.

Se você vive em lugar muito quente, pode optar por uma gaiola. Uma grande variedade de gaiolas de metal pode ser encontrada, desde uma gaiola simples até gaiolas com vários níveis. Atente para o fato de que gerbils adoram “arrumar” e cavar a forração. Eu, por exemplo, gosto de dar aos meus gerbils alguns centímetros de forração para brincar. Com toda a brincadeira e cavação, a forração acaba toda fora da gaiola, isso pode ser solucionado colocando-se a gaiola dentro de uma caixa de papelão cortada, a sujeira das cavações fica dentro da caixa.

O terceiro tipo de casa facilmente encontrado é a caixa de plástico. Embora sejam muito populares, tem ventilação escassa e começam a cheirar muito rapidamente. Os gerbils também escapam facilmente deste tipo de casa, e às vezes roem toda a estrutura.

3.2 Forração

Gerbils precisam de forração para absorver a urina e para cavar. Eles não fazem tanto xixi, então a forração não precisa ter cheiros. As melhores opções são álamo, Carefresh1 e forração de sabugo de milho moído (corn cob). Em média, um aquário de 50 litros com dois gerbils precisa ser limpo a cada duas ou três semanas. Se a água do bebedouro derramar, ou o cheiro for muito forte, obviamente você deverá limpá-lo antes. Quando limpo com freqüência, um viveiro não tem cheiro. Encha-o com 1/3 de forração. Eles adoram amontoar a serragem e enterrar sua comida nela. Se você está reproduzindo, cinco centímetros de forração são suficientes.

  • Álamo, corn cob ou Carefresh são os recomendados pelos criadores mais experientes.
  • NUNCA use serragem de pinho ou cedro, PRINCIPALMENTE se estiver reproduzindo gerbils.
  • Papel picado também irá funcionar, no entanto a gaiola começará a cheirar bem mais rápido do que com serragens recomendadas.
  • NÃO USE papel com coisas impressas.
  • Encha o aquário com 1/5 de forração se não estiverem reproduzindo. Se estiverem, cinco centímetros serão suficientes.
REPETINDO: não use serragem de pinho ou cedro. Elas podem ser perigosas para os gerbils principalmente aos filhotes. São causas conhecidas de problemas respiratórios graves.
 

1N. da T.: Carefresh é uma marca canadense de forração para animais de pequeno porte, feita de fibra de madeira virgem. Não sei se existe similar no Brasil.

3.3 Material para o ninho

Papel higiênico ou absorvente sem perfume serve para que façam um ninho barato e seguro. Corte em tiras finas e deixe o resto com eles. Observe como constróem belos castelos de papel!

CUIDADO: Os materiais à venda para ninhos podem parecer macios e fofinhos mas são muito perigosos para os gerbils. Eles podem se enroscar no material e acabar amputando uma pata (mesmo que isso aconteça com 1 em 100 gerbils é melhor não correr o risco!). Eles podem também ingerir pequenos pedaços do material causando uma obstrução gástrica.
 
O ninho
Uma caixa de papel simples para o ninho dará aos gerbils um bom lugar para dormir, se esconder, e ter alguma privacidade. Você pode fazer um ninho com madeira, ou comprar um pronto numa pet store. Os ninhos de plástico não são recomendáveis, pois serão mastigados em uma semana.

 

NOTA: Muitos criadores não recomendam o uso de um ninho pronto para um par reprodutor, pois os filhotes podem ficar presos embaixo dele.

3.4 Bebedouro

Cada gaiola/aquário precisa de seu próprio bebedouro. Há uma variedade de tipos e a maioria vem com um prendedor de arame para gaiolas. Se você estiver usando um aquário precisará de um prendedor especial para o bebedouro. Certifique-se que o bebedouro está bem acima da forração. Se a ponta entrar em contato com a forração ou outro material, irá esvaziar-se em questão de horas. Mesmo sendo animais do deserto, os gerbils precisam de água limpa e fresca sempre.

Cheque a água todos os dias para ver se não precisa ser trocada e se o bico está funcionando bem (quando você encosta na ponta, escorre uma gota de água).

3.5 Comida

É recomendável comprar uma boa ração pré-misturada para gerbils. É fácil chegar à combinação ideal de proteínas, minerais e vitaminas. Sementes de girassol são muito ricas em proteínas, e além de tudo, engordam. Uma boa idéia é separá-las e dar na mão no decorrer do dia. Isto traz um duplo benefício: primeiro, nenhum gerbil vai acumular sementes e ficar gordo; segundo, é uma maneira ótima de domesticá-los e torná-los mais próximos. Siga as seguintes orientações:
 
Idade/situação Proteína Gordura
Não reprodutor 12% 7%
Mais de 2 anos 10,5% 4%
Reprodutores 15,5% 8%
 
A comida pode ser posta diretamente na forração, no centro da gaiola, permitindo que os gerbils busquem sua comida. Também pode ser servida em pratinhos de cerâmica ou latas de atum. A maioria dos gerbils irá enterrar o prato de comida na forração. É um meio de proteger sua comida dos demais. Não se preocupe, ele irá encontrar o prato novamente sem problemas.

Se quiser fazer um agrado aos seus gerbils, tente coisas como flocos de milho (sem sabores, açúcar ou doces). Eles também gostam de amendoins, mas estes engordam muito. Gostam de maçã, cenoura, e couve, mas retire os restos da gaiola depois de um dia e não dê com muita freqüência. Você deve dar um pedaço grande (por exemplo, meia maçã) para mastigarem por algumas horas, depois retire. Pedaços pequenos se perderão no meio da forração.

3.6 Pratos de comida:

Um prato de comida não é necessário porque os gerbils justamente irão enterrar a comida na forração. Se você preferir usá-lo, tenha um pequeno prato de cerâmica, para que eles não o virem tão facilmente.

3.7 Brinquedos e exercício

Gerbils são animais muito ativos, e precisam de entretenimento constante. Deixe sua imaginação trabalhar pensando em brinquedos para eles. Pedaços de madeira são excelentes brinquedos. Faça muitos buracos grandes para eles brincarem. Peça ao marceneiro para cortar e lixar para você. São baratos, e você pode usar pedaços de madeira sem utilidade. Isto será um bom brinquedo e também um excelente roedor.

CUIDADO: Certifique-se de que a madeira não é tratada nem de procedência duvidosa! Acessórios para brincar e roer em formatos variados podem ser adquiridos nas pet shops. Toda vez que você terminar um rolo de papel higiênico coloque o tubinho no aquário. Os gerbils vão escalar e usá-lo como túnel antes de aproveitá-lo para roer. Eles adoram, mas em poucas horas o rolo estará em pedaços. Quem tem mais de um terrário, terá de arrecadar rolos com a família, os amigos, no trabalho... de qualquer lugar, para que você possa manter seus gerbils ocupados. Rolos de papel mais duro são melhores de escalar e duram mais.

10 gallon tankVocê pode usar as rodinhas tradicionais para hamster no seu aquário. MAS... há muitas precauções que devem ser tomadas antes de usá-las com o seu gerbil! Primeiro, para preservar o espaço interno prenda a roda na tampa de arame. Isto libera até dez centímetros do chão do viveiro. Um jeito simples de prender a roda é com lacres de plástico. Funcionam bem, e são facilmente removidos.

Depois, encape a roda por fora com fita adesiva (mas não plástica ou com fios embutidos). Cubra então cuidadosamente a parte interna da roda com forração. Isto disfarça a fita e evita que o gerbil grude a pata.

Alguns gerbils adoram a roda, e a usam por horas! Outros ficarão indiferentes à rodinha.
 
AVISO: Os rabos podem ficar presos nas rodas descobertas e acabarem amputados.
 


4 Domesticando

Se você comprou seu gerbil de um bom criador, o trabalho de domesticar estará bem encaminhado. Lembre-se de esperar que o filhote tenha no mínimo seis semanas para levá-lo para sua casa. Este é o tempo necessário para que ele aprenda com sua família sobre a sociedade, e como não ter medo das pessoas.

Primeiro, dê-lhes algumas horas para se acostumar com a nova casa. Então, coloque sua mão no chão do aquário e deixe que ele venha cheirá-la. Não é raro ganhar pequenos beliscões enquanto eles examinam e exploram a sua mão. Eles estão tentando “prová-la” e descobrir se você tem um gosto bom. Não puxe a mão, retire-a cuidadosamente. Dê um soprinho rápido neles, como se estivesse apagando uma vela.

Este tipo de mordida não deve ser dolorida e dificilmente chega a machucar a pele. É um hábito que eles abandonam quando crescem. Gerbils jovens tendem a fazer isto como parte da fase “pôr tudo na boca”.

Se ao invés de beliscar suavemente seu gerbil morde forte, a ponto de sangrar, e foge, isto é um sinal de mau temperamento ou falta de socialização desde cedo. Você pode devolvê-los ou trocá-los por outros gerbils que sejam mais dóceis e gentis, principalmente se crianças irão manusear os bichinhos.

A domesticação pode ser bastante fácil se você se mover pacientemente e sem pressa. Toda manhã, quando você os alimentar, retire da ração as sementes de girassol. Coloque-as de lado em uma caneca perto da gaiola. Durante o dia, então, coloque algumas sementes na palma da sua mão. Não tente pegá-los. Rapidamente eles se acostumarão com a sua mão e passarão a vê-la como um maravilhoso comedouro de sementes de girassol. Depois de uma semana suba devagar a mão, pouco a pouco, toda vez que um deles sentar, abaixando devagar de volta.

Uma vez que eles se sintam confortáveis com o movimento da sua mão, dê-lhes um “beijo de esquimó” (nariz contra nariz), suavemente. Alguns gerbils adoram carinhos no nariz e nas patas. Você pode fazer uma concha com as duas mãos contra o seu corpo; alguns gerbils poderão dormir, outros ronronarão suavemente como gatinhos.

Tame gerbilsEm menos de duas semanas eles devem estar bastante dóceis, e gostar de ser pegos. Mesmo que com cuidado e responsabilidade, não se recomenda que crianças manipulem os gerbils até se ter certeza de que eles estão completamente domesticados. Esses cuidados evitam experiências ruins, e é mais fácil e rápido domesticar gerbils quando apenas uma pessoa os manipula. Uma vez que eles se acostumem com o contato humano, gradualmente as crianças poderão começar a brincar com eles.

NOTA: Se você tem mais de um terrário com gerbils sempre lave as mãos quando for mexer de um terrário para outro. Você não vai querer cheirar como um intruso.
 


5 Tópicos de saúde

Gerbils são animais robustos, e com os devidos cuidados e atenção podem nunca ficar doentes. Contudo, há algumas poucas doenças que um criador deve se precaver. Se o seu gerbil estiver seriamente doente, não comer nem beber, leve-o imediatamente a um veterinário.

5.1 Problemas respiratórios

Filhotes, gerbils mais velhos ou adultos em situação de stress são mais suscetíveis a desenvolver infecções respiratórias. As causas vão de vírus e Sick Pupsbactérias até o próprio ambiente. Dois agentes comuns são as maravalhas de cedro ou pinus. Filhotes com problemas durante o desmame podem ser tratados com Tetraciclina na água. Adquira o medicamento na seção de pássaros da pet shop e use a dosagem para pássaros pequenos (canários). Trate a água por pelo menos dez dias. Alimentação complementar com leite substituto de gata pode ajudar a manter os filhotes fortes para combater a infecção respiratória.

Os sintomas são pelagens despenteadas, estalidos, e gerbils encolhidos pelos cantos. Os gerbils ficam menores que os outros e sua saúde pode decair muito rapidamente. Se você tem um gerbil doente, que não come, não bebe e tem diarréia, leve-o imediatamente a um veterinário.

5.2 Tumores da glândula odorífera

O tumor da glândula odorífera é o tipo mais comum de tumor nos gerbils, e ocorre com mais freqüência nos gerbils mais velhos. A glândula odorífera é uma pequena mancha sem pêlos na pele da barriga do gerbil. Notável inicialmente como um pequeno caroço, o tumor continuará crescendo se não for tratado. Este tipo de tumor ocorre com mais freqüência nos machos, mas também ocorre ocasionalmente nas fêmeas. Leve seu gerbil a um veterinário especializado em pequenos animais. Estes tumores são normalmente extraídos, e há uma grande possibilidade de uma completa recuperação.

5.3 Rabos quebrados

Um problema totalmente evitável que tem várias causas: ficar preso numa gaiola, numa roda, ou ser suspenso pela cauda. Este acidente deixa uma cicatriz feia, sem pêlos, mas não requer uma atenção maior do veterinário, a não ser que o machucado infeccione. O osso exposto irá secar e cair em algumas semanas.

CUIDADO! Um gerbil nunca deve ser suspenso pelo rabo nem mesmo pela base.
 
5.4 Ataques do coração

Os ataques do coração se caracterizam por paralisias, que ocorrem normalmente de um lado só do corpo. São mais comuns em gerbils mais velhos, mas algumas vezes gerbils jovens podem sofrer deste problema. Um gerbil pode ter uma série de ataques, e não viver muito. Em outros casos, terá uma recuperação total. Mantenha-o confortável, com água e comida à disposição.

5.5 Paralisia ou espasmos

Mais freqüentes em gerbils jovens, os espasmos são normalmente desencadeados por um estímulo estranho (como ser colocado em um novo ambiente), ou se superexcitado. Muitos gerbils jovens eventualmente crescem sem apresentar esse tipo de ataque. Nos casos mais ligeiros, eles ficarão mancos quando você os assustar ou colocá-los numa nova gaiola, mas nos casos mais graves o gerbil ficará paralisado ou se contrairá ao menor pretexto. Simplesmente ponha-o de volta em sua gaiola e deixe-o sozinho por alguns minutos. É fortemente desaconselhável reproduzir um gerbil que tenha crises nervosas, já que a tendência pode ser transmitida para a prole. (Em casos raros o gerbil pode morrer em um ataque muito sério).

5.6 Nariz vermelho

Você freqüentemente ouve criadores preocupados com seus gerbils que têm sangue em torno do nariz. Muitos criadores acham que são brigas entre os gerbils, mas não é o caso (mordidas no rabo ou em torno do rabo, esses sim são sinais de gerbils agredidos). O muco do gerbil também é freqüentemente confundido com sangue, porque possui coloração avermelhada. A causa mais comum para um sangramento nasal é a alergia. Se você está usando forração de cedro ou pinus, troque imediatamente por álamo, Carefresh ou corn cob. Algumas vezes, um gerbil pode ser alérgico ao álamo. Gerbils criados em gaiolas passarão horas mascando as barras da gaiola, e isso poderá irritar o nariz, causando a queda dos pêlos. A solução mais simples é criar seus gerbils em um aquário. Se o nariz do gerbil parecer infeccionado leve-o a um veterinário para tratamento.

5.7 Sarna

Para procurar pelas sarnas pegue algumas folhas de papel higiênico branco sem perfume e embrulhe seu gerbil, deixando a cabeça de fora. Espere um minuto ou dois e abra o embrulho, procurando minuciosamente por manchas ou bolhas vermelhas.

Se você descobrir que seu gerbil está com sarna, você deve procurar na pet shop ou no veterinário um spray anti pulgas para hamsters e gerbils de Piretrina a 0,66%.

Primeiro limpe a gaiola e todos os acessórios com água sanitária e sabão. Depois, borrife o spray em toda a gaiola e também nos acessórios. Borrife também o lado de fora do bebedouro. Quando você puser forração nova, borrife-a também.

Use o spray na forração velha antes de jogá-la fora. Feche bem o saco de lixo e borrife-o por fora também. Coloque-o numa cesta de lixo com tampa. Borrife os gerbils, certificando-se de que eles estão molhados do rabo às orelhas. Agora borrife suas mãos, molhando-as, e cuidadosamente passe o medicamento na pelagem da cabeça do gerbil. Massageie-o suavemente para garantir a penetração do medicamento.

Repita o teste do papel higiênico diariamente, e use o spray sempre que encontrar vermes. Você precisa seguir todos os passos descritos acima muitas vezes antes de estar definitivamente livre da infestação.

5.8 Diarréia ou mal de Tyzzer

Muitos vegetais na dieta do gerbil podem causar-lhe diarréia. Se o seu gerbil tem uma dieta rica em vegetais simplesmente corte-os e ficará tudo bem.

O mal de Tyzzer é uma doença altamente contagiosa e letal cujos sintomas também incluem diarréia. A morte ocorre normalmente 24 horas depois dos primeiros sintomas aparecerem. O tratamento com antibióticos pode não salvar o seu gerbil doente, mas prevenirá o contágio dos outros gerbils. Se seus bichinhos apresentarem uma diarréia inexplicável trate-os todos com antibióticos. Gerbils são pequenos e sua saúde é muito frágil. Se você tiver um gerbil muito doente, que não come, não bebe, e tem diarréia, leve-o imediatamente a um veterinário.

5.9 Dentes muito grandes

Os dentes dos gerbils crescem incessantemente, e é vital para eles ter algo para mascar. Você pode por um bom galho de macieira ou cerejeira para cada um dos terrários. Congele-os por 72 horas para matar quaisquer pragas existentes.

Dentes muito grandes podem ocorrer em gerbils mais velhos que não mascam mais com tanta freqüência. Estabeleça como rotina checar os dentes dos seus gerbils pelo menos uma vez ao mês.

Se os dentes dos seus gerbils começarem a crescer demais, seu veterinário pode apará-los para você. Uma vez que isso aconteça seu gerbil terá de aparar os dentes regularmente.


6 Comportamento
 
6.1 Sapatear

Há duas razões para os gerbils sapatearem: para avisar os demais da sua colônia do perigo ou por excitação sexual. Quando alarmados ou excitados, os gerbils fazem um sapateado ritmado e surdo com a pata traseira. Normalmente apenas um gerbil fará isto enquanto os outros apenas ouvem. É bastante interessante quando se tem vários terrários e um gerbil sapateia, e outro em outro aquário responde! É a sua maneira de comunicar o perigo. O som é produzido batendo ambas as patas no chão. É impressionante o quão alto e duradouro pode ser o som. Enquanto nós não somos capazes de diferenciar os dois tipos de sapateados, certamente os gerbils sabem a diferença. Um alarme de perigo produzirá um coro de respostas, já um sapateado de acasalamento será freqüentemente ignorado.

6.2 Pentear

Pentear não é só uma maneira de manter-se limpo, mas também uma parte vital da infra-estrutura social dos gerbils. Casais, pais e filhotes gastarão muito tempo penteando-se uns aos outros. Penteadas regulares são um sinal de que tudo vai bem no grupo.

6.3 Brigas

Há dois tipos distintos de brigas: brincadeiras e brigas sérias. As brincadeiras são freqüentes entre os gerbils, principalmente entre os filhotes Eles irão arremeter-se e saltar um sobre o outro, correndo pela gaiola em seguida. Eles ficarão em pé, nas patas traseiras, e tentarão bater uns nos outros (quase como os cangurus fazem). Quando selvagens, os gerbils vivem em grupos pequenos. Há um casal dominante, e alguns de seus filhos mais velhos que ajudam a cuidar das ninhadas. Quando um dos gerbils subordinados está pronto para começar sua própria família ele vai embora.

Quando mantidos em cativeiro os gerbils não podem ir embora. São forçados a viver como os humanos, adaptando-se ao ambiente e aos moradores. Muitas das brigas podem ser evitadas seguindo-se regras simples:

  • Sempre apresente gerbils estranhos usando o aquário de separação (detalhes na seção “O aquário de separação”). Filhotes jovens, pares sexualmente maduros, e um macho mais velho com um filhote se adaptam mais facilmente.
  • Nunca mantenha mais de duas fêmeas adultas juntas.
  • Nunca mantenha mais de quatro machos adultos juntos, embora haja histórias de sucesso com mais de sete.
  • NUNCA cruze mais de uma fêmea por gaiola.
  • Quando uma segunda ninhada chegar deixe no máximo 3 filhotes mais velhos para evitar superpopulação.
Estes são alguns sinais de problemas: seu gerbil perde peso, tem marcas de mordidas na cabeça ou na cauda, e mais seriamente pára de dormir no ninho. Se você vir estes sinais pode estar havendo a iminência de um conflito. Um jeito de prevenir as brigas é manter um viveiro simples, com estruturas abertas e apenas uma caixa fechada para servir de ninho. Quando os gerbils brigam, são muito violentos e freqüentemente brigam até a morte. Uma vez que haja sangue numa briga, a reconciliação é improvável.

6.4 Marcar território

Se você olhar para a barriga do gerbil verá uma pequena mancha; é a glândula odorífera. Ela produz uma secreção oleosa que eles usam pra marcar território. Eles marcarão tudo que estiver no território deles, incluindo a família. A marcação é feita esfregando a barriga ou montando no objeto ou no outro gerbil.

6.5 Cavar incessantemente nos cantos

Muitas pessoas confundem o hábito dos gerbils de cavoucar suas gaiolas com a ânsia de sair, o que não é verdade. Trata-se de uma “cavação estereotipada” e é causada pelo instinto natural de cavar tocas. É um comportamento perfeitamente normal.

6.6 Fugir

Gerbils, tendo os “péssimos” gênios que têm, são às vezes muito bons fugindo. É essencial que você tenha uma tampa em seu aquário e se certifique de que não há meio de escaparem. Se eles fugirem, feche todas as saídas de todos os cômodos da casa, ponha os gatos e cachorros para fora, ou num quarto fechado que você tenha CERTEZA que o gerbil não está, e comece a procurar.

As escapadas não são como fugir para longe de casa, então comece procurando no cômodo onde fica a gaiola. Mova-se devagar, olhando embaixo e atrás dos móveis ou no canto do armário mais próximo. Quando você o localizar sente-se calmamente e espere que ele saia. Eles normalmente não resistem a vir investigar o que está acontecendo. Se eles forem dóceis, confiantes e reconhecerem em você a fonte da boa comida chegarão perto o suficiente para que você cuidadosamente os recolha.

Freqüentemente o gerbil voltará direto para sua gaiola, se esta é colocada no chão, principalmente os filhotes.

Mantenha um pedaço de tubo de PVC de cerca de 50 cm à mão. Deixe-o no chão perto de onde eles estão se escondendo. Sente-se a certa distância e fique quieto. Quando o gerbil vier investigar o tubo, jogue uma toalha por cima dele, tapando as duas pontas. Rapidamente, mas com cuidado, ponha suas mãos nas pontas do tubo. Para esta operação, você terá apenas alguns segundos. Uma caixa de sapatos com um buraco pequeno em um lado também funciona neste caso.

Se você não conseguir resgatar seu gerbil de jeito nenhum, ou não puder encontrá-lo, espalhe sementes de girassol com um prato de água no cômodo (ou em vários cômodos, se você não puder identificar onde ele está). Conte o número de sementes, e volte para conferir depois. Assim que você encontrar as cascas, saberá onde o gerbil andou. Você poderá então construir uma armadilha com rampas subindo de um lado de uma torre alta o suficiente para que ele consiga pular para dentro da armadilha. A idéia é que ele consiga pular para dentro mas não escalar para fora novamente.


7 Reprodução
 
7.1 Decidindo pela reprodução / criação

Muitas pessoas procuram um jeito fácil e rápido de ganhar dinheiro. Existem verdadeiras fábricas de filhotes, que reproduzem os animais de maneira indiscriminada e em condições horríveis. Leia quantos sites sobre gerbils quiser e uma coisa ficará clara: você não ficará rico criando estes bichinhos! A única razão para criar gerbils, ou qualquer outro animal, é o amor. Nós cuidamos de cada gerbil que entra em nossas casas. Somos responsáveis por sua saúde e felicidade. Isso requer grandes investimentos em dinheiro, tempo e paciência.

Então, você ainda quer criar gerbils? Se a resposta é sim, então você tem muitas coisas a considerar. Quantos gerbils você quer ter? Quantos você pode realmente cuidar? Você precisará de espaço adequado para o casal e seus filhotes, até oito. Uma vez desmamados eles precisarão ser separados em machos e fêmeas, em gaiolas separadas. Cada nova ninhada demanda atenção e cuidado até que estejam habituados com o contato humano. Você irá vender os filhotes? Um par de gerbils pode ter ninhadas a cada trinta dias, ou doze ninhadas por ano. Uma ninhada pode ter de um a oito filhotes, e se cada ninhada tiver quatro filhotes serão quarenta e oito filhotes no ano. Dois pares reprodutores farão noventa e seis filhotes em um ano. Há mercado na sua região para tantos bichinhos?

 

Reprodução de gerbils, por Donna Anastasi

7.2 Selecionando o casal

Na reprodução de gerbils o mais importante fator para o sucesso e uma boa experiência é a escolha adequada do par reprodutor. As opções são comprar de um criador ou em uma pet shop. Se você comprar em lojas, compre o macho e a fêmea de lojas distantes entre si, de modo a se assegurar que os gerbils não são parentes.

Quando selecionar seu casal escolha os melhores em:

  • Saúde: eu escolho os mais fortes das ninhadas e evito filhotes pequenos ou gerbils que tenham tido algum tipo de problema, como infecção respiratória.
  • Temperamento: Os gerbils deverão virão direto para você, sentar na sua mão e implorar por um passeio. Geneticamente ou pela convivência, essa facilidade de convivência com os humanos é transmitida aos seus filhotes. Os gerbils também podem ser mais sociáveis (que é um fator completamente diferente da disposição para o trato humano). Isto significa que eles são mais fáceis de apresentar aos outros gerbils (principalmente a um filhote) e adaptar-se.
  • Cor: Por que a cor é tão importante? Enquanto um temperamento bom e uma saúde de ferro são as primeiras considerações, cruzar para obter as cores mais populares ajudará a vender, ou doar, os filhotes. REW/PEW, Agoutis e pretos podem ser mais difíceis de encaminhar. Qualquer malhado, cores vibrantes, e os de pontas coloridas estão na moda. Antes de unir um casal para reproduzir, convém entender um pouco de genética básica para tentar prever as cores que o casal irá produzir.
A vantagem de comprar um casal de um criador é conhecer os pais. Você gosta dos temperamentos deles? Você também pode perguntar ao criador: qual é a mortalidade total das ninhadas? Qual é a média de mortalidade do casal que pariu seu filhote? De que os filhotes morreram? (note que um índice de mortalidade de 10% ou menos, incluindo natimortos, é bom) Os pais têm registros, ou um pedigree? O filhote que você escolheu tem alguma doença ou problema? Ele teve algum problema respiratório, ou dificuldades no desmame? Algum dos parentes morreu? De quê? Como são os pais em relação aos outros gerbils? O criador já teve algum problema apresentando o casal para algum outro gerbil, adulto ou filhote? Um criador responsável .será simples e direto respondendo a estas questões e ficará satisfeito de ver seu interesse em adquirir Split Cage Introductionfilhotes saudáveis.

Tendo um macho e uma fêmea, você terá de apresentá-los. Se eles forem filhotes (de 6 a 8 semanas) e a fêmea for do mesmo tamanho ou menor, você pode tentar uma apresentação direta. Em todo caso, o aquário de separação é sempre o melhor jeito de apresentar dois gerbils.

7.3 Ambiente de reprodução

A Breeding PairQuando o macho e a fêmea já forem amigos, crie um ambiente propício para a reprodução. Seu casal deverá ser colocado numa área da casa calma e tranqüila, sem barulhos altos ou muito movimento. Você não quer que os filhotes se acostumem com pessoas e barulhos, ainda. Ponha a gaiola de modo que seus gerbils tenham alguma privacidade.

É crucial que você nunca cruze mais de uma fêmea na mesma gaiola – a sociedade dos gerbils é um matriarcado e as fêmeas brigarão até a morte pelos machos. Um casal cria um laço de intimidade e é o arranjo perfeito para a procriação.

É importante que você deixe o pai com a mãe para ajudá-la a criar os bebês. De outro modo a experiência será muito estressante para a mãe gerbil e ela poderá não dar conta sozinha – principalmente se for uma mãe de primeira viagem ou uma mãe mais velha. Se você separar o casal, deixe uma filha da última ninhada para ajudar a mãe com os bebês.

Mantenha a gaiola de reprodução com uma estrutura muito simples. Muitas pessoas perdem Simple breeding setup.os filhotes porque eles caem dos níveis nas gaiolas, ficam presos embaixo ou atrás de uma caixa, ou vão correr na roda com a mãe, etc. Quando eu reproduzo, uso apenas cerca de seis centímetros de Carefresh, papel higiênico sem perfume, um bebedouro baixo para os filhotes alcançarem, e uma toalha para cobrir o aquário. Mais nada. Nenhum tipo de material ou fibra vendida em lojas, até porque as toalhas de papel contém fibras que podem enroscar na pata de algum filhote, ou coisa pior. Ponho também na gaiola meio rolo de papel higiênico para os pais mascarem todo dia.

E quanto Parents eating toilet tissue roll.à forração? Eu acho que o corn cob é o mais seguro. Mas por manter o aquário tão simples, com o corn cob não há túneis ou onde esconder coisas e eles podem ficar mais estressados, então tenho usado um ninho de madeira ou de cartão. Como não gosto de deixar nada sobrando no aquário, uso Carefresh ou uma camada de corn cob com cinco centímetros de Carefresh por cima. Ao primeiro sintoma de infecção respiratória, eu uso Tetraciclina e mudo para corn cob e papel higiênico por vários dias. É bobagem comparar corn cob com o Carefresh. Os reprodutores que usam corn cob não tem reclamado de nenhum tipo de problema respiratório.

7.4 Cuidados especiais

Uma gerbila grávida não precisa de cuidados especiais. Certifique-se de manuseá-la com cuidado e não a deixe cair, principalmente nos últimos dias da gestação. Dê-lhe uma ração de qualidade com pelo menos 15% de proteínas. Alguns criadores complementam a ração com mais proteína, por exemplo, com ração seca para gatos ou um ovo batido. Eu separo os amendoins para a mãe gerbil. Uma gerbila grávida ou amamentando tem que ter água sempre à disposição. Cheque se o bebedouro está cheio e funcionando bem pelo menos uma vez ao dia. Se o bebedouro não estiver funcionando a mãe gerbil pode optar por sacrificar um dos filhotes e usá-lo como fonte de líquido para continuar alimentando o resto da ninhada.

7.5 Acasalamento

Seus gerbils estarão prontos para acasalar com cerca de três meses. Se um gerbil do casal for mais velho, ou especialmente se um for um reprodutor experiente, o acasalamento ocorrerá em menos de duas semanas. Gerbils normalmente acasalam no começo da noite, num ritual de mais ou menos duas horas de pega-pega, “marcação” e então cada um checa seus órgãos genitais. Uma fêmea pode produzir filhotes até os dois anos de vida. Um macho produzirá durante a vida toda.

Se esta for a primeira ninhada, ou seus gerbils não estiverem alimentando filhotes quando acasalarem, a gestação será de 24 dias. Marque no seu calendário! A gravidez durará no máximo 28 dias.

Pregnant femaleA gravidez não será aparente até poucos dias antes do nascimento. Ela começará a se sentir mais pesada e ficará parecendo uma pêra, com a barriga saliente.

Quando os bebês estiverem nascendo é melhor não perturbar os pais. Você poderá observar com uma certa distância, mas não perto demais; não mexa na gaiola nem tente pegar os gerbils, pais ou filhotes. A fêmea irá se curvar, retirar o bebê, limpá-lo e comer a placenta. Durante o parto ou imediatamente depois o casal irá acasalar novamente, num novo ritual de cerca de duas horas. Não se preocupe com os bebês, eles ficarão bem. A mãe gerbil colocará os filhotes juntos no ninho, mas algumas vezes poderá não fazê-lo antes de terminar o parto e o acasalamento.

7.6 Os primeiros dias

Mom a one day old pups.A maioria dos gerbils são pais excelentes e nunca vão comer seus próprios filhotes (a menos que o bebedouro esteja vazio). No entanto, se um bebê já nascer morto ou morrer em seguida do nascimento o instinto dos pais é “limpar” a gaiola para mantê-la saudável, se você não retirar o corpo em seguida.

Se nascer apenas um filhote ou apenas um sobreviver ao parto, possivelmente não haverá estimulação suficiente para a mãe produzir leite. A melhor coisa a fazer é colocá-lo junto a uma outra ninhada, talvez de outro criador que possa ajudá-lo.

Depois do nascimento normalmente o pai é rejeitado no ninho durante 24 a 48 horas, enquanto a mãe atende os bebês. Pode ocorrer do pai “seqüestrar” um filhote ou dois para seu ninho, para lhe fazer companhia. Normalmente, eu os coloco de volta com a mãe.

Sempre lave suas mãos quando for mexer com os bebês – embora os gerbils normalmente não estranhem os cheiros das pessoas próximas, cheiros estranhos como poeira ou outros gerbils podem fazê-los rejeitar ou mesmo atacar seus bebês.

Clamp LampSe a mãe parecer distraída e estiver correndo, cavando, ou arranhando os cantos, deixe-a sozinha num cômodo reservado, cubra a gaiola com uma toalha, e dê-lhe alguns pedaços de papel higiênico. Você poderá aquecer um dos cantos da gaiola, mas não demais! Eu uso uma lâmpada de 40W colocada a alguma distância do aquário. Use um termômetro para certificar-se que a temperatura não ultrapasse os 29º C.

A mãe gerbil pode mudar a ninhada de um canto para outro da gaiola, principalmente se ela se sentir nervosa ou ameaçada. Isto é normal e não deve preocupá-lo. Depois de alguns dias este comportamento deve desaparecer e a mãe manterá os filhotes num mesmo canto do aquário.

É importante que nos primeiros dias após o nascimento você não mexa em nada do ambiente. Não limpe o aquário, não mude de lugar, não dê nada para mascar nem novos brinquedos, não tire nada de dentro. Principalmente NÃO RETIRE O PAI GERBIL. Qualquer mudança poderá fazer com que a mãe gaste muito tempo arrumando a casa, negligenciando deste modo os filhotes.

Quando estamos reproduzindo, eu checo os bebês duas a três vezes ao dia a partir do primeiro dia, mas tento deixar a ninhada para os pais sem interferir. Os casais de gerbils são normalmente pais excelentes. Algumas vezes, nos primeiros dias, um filhote poderá se separar do ninho. Coloque o filhote de volta, mas lave muito bem as mãos primeiro, ou coloque um saco plástico na mão.

7.7 As primeiras semanas

Antes de pegar os filhotes, eu dou aos pais algo para mastigarem, para se manterem distraídos, ou alguma comida.

Cup pup in your hands to move.Eu começo a pegar os bebês quando eles adquirem alguma pelagem – isso pelo 5º ou 7º dia. Seja cuidadoso! Mesmo nesta idade os bebês se movem rapidamente, e sendo cegos eles irão rastejar, se agitar, e tentar pular fora da sua mão, o que pode resultar em machucados muito sérios. Sempre retire os filhotes do aquário usando as duas mãos e leve-os direto para cima de um travesseiro ou cobertor.

Nessa idade, pego os filhotes apenas uma vez por dia e por poucos minutos, para que se acostumem com o toque e com o cheiro das mãos humanas. Depois de explorar você um pouco, e talvez tentar mamar nos seus dedos, eles irão se “enroscar” nas suas mãos e tirar uma soneca.

Nipples on female pup.Dos 7 aos 10 dias você poderá identificar o sexo dos gerbils usando o “método dos mamilos”. Apenas as fêmeas tem mamilos, e eles aparecem como pequenas depressões debaixo dos braços, nas laterais da barriga, e sobre as coxas. Neste momento, anote as cores e os sexos da sua ninhada. Isto o ajudará muito a separar os filhotes quando tiverem seis semanas.

Entre 10 e 20 dias, os bebês já estarão bem cobertos de pêlos e você poderá determinar com precisão suas cores. A tabela de cores da AGS poderá ajudá-lo.

Nesta12 day old pups idade os filhotes já estarão bem confortáveis na sua mão, poderão sentar-se e lavar seus focinhos, e tentarão escalar suas mangas. Você pode tirar os bebês da gaiola uma ou duas vezes ao dia, por poucos minutos. Ainda deve segurá-los sobre um travesseiro ou cobertor – as chances deles caírem da sua mão ainda são grandes. Você deve separar a ninhada e pegar apenas 2 ou 3 filhotes por vez, já que eles estão ficando mais ágeis agora. A partir dos 17 dias eles abrirão os olhos. Pode levar alguns dias para que todos os filhotes abram ambos os olhos. Se um olho permanecer fechado por mais tempo você pode tentar esfregar o olho delicadamente com um paninho úmido.

Seja extremamente cuidadoso no dia em que os olhos abrirem e nos seguintes. Os filhotes que são normalmente calmos e relaxados nas suas mãos se tornam nervosos e quererão fugir pelo quarto. O mundo é brilhante e confuso e os filhotes ficam nervosos quando começam a enxergar. Eles não irão reconhecer você – você agora é um gigante assustador ao invés do par de mãos macias e do túnel de mangas.

É importante que você continue a pegá-los nessa etapa do desenvolvimento. Pegue-os algumas vezes ao dia – com cuidado! Pegue os bebês, um por vez, por um minuto, e mantenha-os bem seguros dentro das mãos para que não possam sair.

Depois de alguns dias, os gerbils, já com 24 dias, estão de volta ao seu temperamento Up they go.calmo de antes. Agora eles normalmente estão calmos e relaxados e você não precisa se preocupar com quedas ou fugas das suas mãos. Nesta fase, tente pegá-los quando estão mais ativos, no começo da manhã. Ponha sua mão no aquário e quando os bebês subirem levante-a suavemente. Se o filhote pular abaixe-a devagar. Quando tirar o bebê da gaiola, dê-lhe um minuto ou dois para brincar, e coloque-o de volta. Em breve você terá um time inteiro de filhotes subindo na sua mão, pelo seu braço, e sentando nos seus ombros. Se os pais deles já fazem isso, os filhotes os seguirão pelo braço acima.

7.8 Desmame e infecção respiratória

Com três semanas de vida os filhotes começarão a mordiscar a comida. Ainda precisam do leite da mãe até cerca de cinco semanas. O desmame é um processo gradual, que leva cerca de duas semanas. Você pode alimentar os bebês no período de desmame com sementes de girassol descascadas, pedaços de amendoim sem casca, flocos de milho e sementes macias como as de ração de canário, complementando a ração normal. Certifique-se que o bebedouro está baixo o suficiente para que os filhotes alcancem. Você pode borrifar um pouco de água na gaiola perto do bebedouro para ajudar a ensinar os bebês onde se toma água.

De três a cinco semanas pode-se começar a colocar papéis – rolos de papel higiênico, pedaços de rolos de papel toalha, caixas pequenas. Note que uma caixa pesada ou a caixa grande da ninhada pode machucá-los e sufocá-los já que eles rastejam por baixo delas. Remova o fundo das caixas ou use caixas que podem ser mascadas rapidamente.

Sick pup being fed.Algumas vezes um filhote pode ter problemas no desmame ou sofrer uma infecção respiratória. É importante que você ataque e trate o problema com rapidez. São sintomas da infecção respiratória estalos do nariz (como o estalo da sua língua no céu da boca), respiração difícil (você enxerga a caixa torácica do gerbil se movendo), pelagem arrepiada ou desarrumada, olhos embaçados, rabo fino, perda de peso, crescimento mais lento em relação ao resto da ninhada.

7.9 Meu kit de emergência para esses casos consiste em três coisas:

  1. leite em pó substituto para gatos e conta-gotas
  2. um spot com uma lâmpada de 40W, e termômetro, e
  3. Tetraciclina, um antibiótico vendido em lojas na seção de pássaros.
Sick pup being fed.Trate a infecção respiratória aquecendo um canto do aquário a mais de 29ºC, alimentando os filhotes com o leite de suplementação para gatos três vezes ao dia e a Tetraciclina (use a dosagem para pássaros pequenos) no bebedouro. Três vezes ao dia, coloque gotas do remédio no seu dedo e ponha direto na boca dos filhotes. Não misture o leite e a água com remédio, pois o leite diminuirá a eficácia do remédio.

Se o filhote começar a ficar muito menor do que os irmãos, complemente sua alimentação com o leite em pó para gatos. É difícil complementar a alimentação do filhote antes que ele tenha duas ou três semanas. Certifique, se de limpar todo o excesso de leite com uma toalha de papel úmida, pois ele seca como cimento.

7.10 Separando os filhotes

Normalmente, quando os filhotes tiverem cinco semanas, uma nova ninhada estará chegando (embora ela possa chegar de 4 a 8 semanas depois da primeira). Você deverá remover todos os filhotes para sua própria gaiola quando a mãe parecer estar prestes a parir. Muitas mães gerbilas não se incomodam de ter filhotes mais velhos junto com os mais novos, mas em alguns casos elas podem se sentir estressadas ou ameaçada pelos filhotes mais velhos e podem querer expulsá-los. Já que os bebezinhos não tem para onde ir (e a maioria deles corre direto para a mãe, por questões de segurança), você deve removê-los antes que algo aconteça. Você poderá deixar um ou dois filhotes com a mãe.

Eu recomendo esperar seis semanas até vender ou dar os filhotes. Eles estarão maiores e mais fortes, terão algum tempo para se acostumar a viver longe dos pais em sua própria gaiola e são mais facilmente identificáveis por gênero. Até a quarta semana machos e fêmeas parecem idênticos, mas a partir da sexta semana os testículos dos machos ficarão bem aparentes.

Female and Male gerbilSempre peço às pessoas que antes de manipular os filhotes lavem bem as mãos. Quando você der seus filhotes, oriente os novos donos (por exemplo, com o panfleto da AGS) e alguma ração. Confirme o sexo dos gerbils antes de doá-los. Você deve perguntar ao novo dono se ele já tem todos os equipamentos para acolher o gerbil e se tudo está seguro para os filhotes.

 
7.11 As regras de ouro da reprodução dos gerbils

A reprodução dos gerbils me faz lembrar dos Gremlins – são poucas e boas regras. Se você segui-las, ótimo, senão, temos problemas. Em resumo:

  • O mais importante fator de sucesso na reprodução é a escolha do casal reprodutor
  • Dê uma ração de boa qualidade (pelo menos 15% de proteína) e mantenha água sempre à disposição
  • Crie um ambiente calmo para o acasalamento
  • Nunca acasale mais de uma fêmea no mesmo aquário
  • Mantenha o aquário de reprodução o mais simples possível
  • O corn cob é a forração mais segura
  • Em seguida do nascimento dos bebês não mexa em nada do ambiente
  • Deixe o pai (ou uma filha mais velha) com a mãe para cuidar dos bebês
  • Pegue os filhotes ainda cegos completamente envoltos nas duas mãos
  • Segure-os em cima de um travesseiro ou cobertor
  • Quando os filhotes abrirem os olhos ficarão muito nervosos – seja cuidadoso com eles
  • Trate infecções respiratórias ou problemas de crescimento ainda durante o desmame
  • Aproveite os bebês – brinque com eles fora da gaiola durante todo o desenvolvimento
7.12 Mantendo registros

É muito importante desenvolver um bom sistema de registro. Você pode fazê-lo num caderno, ou numa base de dados no computador.

  • Cada gerbil: anote o nome, número de registro na AGS, data de nascimento, pais, cor, genes, se reproduz ou não, nome do par, data da morte e causa.
  • Cada casal: seus nomes, números de registro na AGS, número de ninhadas, registro da ninhada na AGS, número de filhotes em cada ninhada, data de nascimento, cores, tempo de gestação, taxa de sobrevivência.
  • Cada ninhada: número de registro na AGS, data de nascimento, pais, cores, genes, saúde, data de morte e causa.
  • Adotantes: nome, endereço, telefone, e-mail, quais filhotes levou, outros comentários (p. ex. “tem um web site”)
  • Pedigree: mantenha uma cópia do pedigree de cada gerbil.

 


Informação para o visitante da AGS

Portuguese Início  |  Registre-se  |  Cuidados com o gerbil  |  Classificados e Mensagens  |  Planilha de cores  |  Código de Ética da AGS  |  Nossa Missão  |  Links  |  Contate-nos  |  Sobre Nós  |  Novidades  |  AGS Gerbils

 


Site elaborado e mantido por Eduardo Machado e Laura Pimás
Copyright (c) Latino America Gerbils - American Gerbil Society. Todos os direitos reservados.